Como ganhar dinheiro com o meu site

Como ganhar dinheiro com o meu site

 

Muitos já ouviram falar de alguém que montou um blog e ganhou uma boa quantia financeira com as suas postagens.

Por outro lado, você também já ouviu falar de alguém que criou uma loja virtual e hoje possui vários clientes. Diante de tais exemplos, vem a pergunta: “Como ganhar dinheiro na Internet?

Desde meados dos anos 90, quando a Internet foi adquirindo cada vez mais relevância em nosso cotidiano, que são pensadas maneiras de adquirir lucros financeiros por meio de projetos envolvendo a construção, a manutenção e a atualização de sites.

Hoje em dia, quando os sites já não são um diferencial, mas sim uma necessidade para os mais variados profissionais, é possível contar com métodos bem interessantes para obter retorno financeiro.


Dicas para ganhar dinheiro com um site

 

Existem várias possibilidades de ganho financeiro com um site. Inclusive, é possível citar um conjunto de métodos que podem ser colocados em prática por qualquer pessoa.

Tais iniciativas obterão o lucro esperado desde que, obviamente, o site também seja divulgado de maneira adequada. Entre algumas das dicas viáveis para conseguir ganhar dinheiro com um site, vale mencionar as seguintes formas.


Venda de publicidade direta

Imagine que você possui um site sobre moda e maquiagem feminina, atualizando periodicamente esse site com notícias sobre as mais recentes tendências, dando dicas de penteados e maquiagem.

Nesse caso, alguma loja destinada a vender artigos de vestuário feminino e materiais de maquiagem tem condições de usar espaços do seu site com o intuito de divulgar a marca dela entre as consumidoras.

Esse artifício compreende na chamada publicidade direta e pode perfeitamente render lucros para você.

Porém, é interessante estar ciente de que o seu site deve contar com um número significativo de acessos. Dessa maneira o empreendedor vai estar seguro de investir a marca dele com você.

A publicidade direta tem como uma das vantagens o fato de que você terá um maior controle a respeito dos anúncios que farão parte do seu site. Trata-se de uma iniciativa, lucrativa e que deve ser bem combinada com o anunciante escolhido por você.

 

Programa de afiliados

Esse tipo de abordagem funciona de maneira distinta da venda de publicidade direta. Portanto, por meio de um programa de afiliados, alguns anúncios não escolhidos por você, porém coerentes com o conteúdo do seu site são utilizados.

Alguns dos mais famosos programas de afiliados são o Google Adsense, o Shoptime e também o do Submarino. Ao se cadastrar em tais programas de afiliados, você pode optar para receber os lucros por meio de comissões, quantidade de cliques nos anúncios ou, por cada mil exibições dos banners publicitários.

Diante disso, é válido concluir que esse tipo de programa, além de ser uma ótima publicidade para as empresas que atuam como anunciantes, também representa lucros para os proprietários dos sites onde são colocados tais anúncios.

 

A procura por parcerias e backlinks

Uma das principais características da Internet é a sua interatividade e a troca colaborativa de informações entre pessoas e grupos de pessoas. Nesse contexto que as parcerias e a utilização de backlinks entre os sites podem resultar em geração de lucros.

Se o seu site, por exemplo, é um espaço voltado para a gastronomia, você pode ter o link do seu site em outros sites que tratam do mesmo assunto. Essa é uma troca que pode divulgar ainda mais o seu site e também os dos seus parceiros.


A venda de tutoriais e e-books


Vender tutoriais e e-books em seu site é uma maneira eficiente para obter lucros no meio online, pois atualmente a busca por informações, a respeito dos mais variados temas é uma prática cada vez mais comum.

Para exemplificar tal questão, se o seu site traz dicas de informática e programação, você pode optar por vender tutoriais a respeito contendo dicas sobre programas mais utilizados, ou também macetes para instalação de algum software.

As possibilidades nesse caso são bem variadas e, diante do interesse do público e da disponibilidade cada vez maior de dispositivos móveis aptos para a leitura de arquivos digitais, a venda dos referidos conteúdos representa uma boa estratégia para a obtenção de lucros.

 

A criação de uma loja virtual

Em uma época em que a capacidade de adquirir produtos sem sair de casa e com apenas um clique, o comércio eletrônico representa um investimento que merece destaque.

Ao criar uma loja virtual é pertinente contar com uma boa hospedagem de sites, com capacidade de suportar a elevada taxa de tráfego. Lembre-se também de caprichar no visual dos produtos por meio de fotos com boa resolução.

 

Conclusão

Como você viu, as opções para investir em um site e obter lucros com ele são bem variadas. Basta você escolher o método ideal para os seus propósitos e trabalhar muito bem a divulgação do seu empreendimento.

Por fim, ganhar dinheiro com um site não é impossível e para quem tem informação e criatividade, o mundo virtual pode ser uma mina de ouro.

Caique nos conta como empreender no Youtube!

Caíque Pereira é um garoto promissor, muito jovem e já empreende um canal no Youtube com quase meio milhão de seguidores, o rapaz promove palestras pelo país e foi em São Paulo na Filmecon 2017 que tive o prazer de trocar uma ideia com ele!


Você vem ensinando pessoas a serem Youtubers há algum tempo na internet, qual sua opinião sobre a quantidade massiva de pessoas subindo vídeos na plataforma?

É muita gente produzindo, mas os números do Youtube mostram que neste mesmo período quadruplicou a quantidade de pessoas que consomem os vídeos, então acredito que tenha espaço para novos canais, novos produtores de conteúdo sim. A concorrência existe, mas hoje o que acontece enquanto comportamento de usuário é “quem eu vou assistir primeiro”, portanto se você for uma cópia de outro canal, se não tiver algo interessante, com certeza será mais um na multidão, busque um diferencial

Não falta responsabilidade hoje nos “youtubers”? Parece que em geral as pessoas não tem tido nenhum critério para postar, para selecionar o que vai ao ar…

Isso é algo preocupante sim e a plataforma vê isso como um problema que está sendo solucionado aos poucos, por exemplo, os click baits não podem ser usados mas usam ainda, tudo por inscritos, tudo por likes, o que acontece é que o Youtube promove essa liberdade e esse ainda é o grande barato da plataforma, sempre vai ter uma galera mal intencionada, ou com pouca maturidade e acabam fazendo bobagem. Mas o público também seleciona, se alguém está fazendo coisa ruim, ele será responsabilizado por isso, ou os usuários vão ridiculariza-lo ou ele perde credibilidade, enfim …

Canais de Youtube e empresas …

Um perigo! A maioria das empresas que entram no Youtube fracassam independentemente do valor investido ou do tamanho da empresa, porque não sabem o que estão fazendo. Não é Televisão … é internet, é Youtube. Pare de querer vender, entregue valor, canal empresarial ou pessoal que foca apenas em venda vai fracassar.

Tendências para 2018?

Tem muita coisa que eu ainda não posso falar por contrato de confidencialidade com a plataforma, mas vamos pensar que em termos gerais o Facebook veio forte com vídeos, Instagram com Stories e o Youtube com certeza com as comunidades, o próprio PLAY do Youtube vai se adaptar a novos formatos em 2018, Stories no Youtube, enfim, a guerra será gigante de conteúdo e o criador terá trabalho quadruplicado. Continuamos sendo um exército de um homem só.

_____________

Fernando Prado é comunicador multimídia, apresentador, produz conteúdo para empresas, Rádios e TVS e é Youtuber através do canal Tudodebom.tv.

NOVAS REGRAS para o Youtube e para os YOUTUBERS!

As regras das redes sociais mudam a todo momento e agora foi a vez da comunidade Youtube mudar suas regras de monetização, para você que tem um canal na plataforma fique ligado para saber o que alterou e se o seu canal já existe continua faturando com a famigerada monetização ou não.

 

  1. É necessário que seu canal tenha 4K horas de visualização dentro dos últimos 12 meses
  2. É necessário que seu canal tenha no mínimo 1.000 assinantes

 

Mas eu já tinha um canal com alguma “grana” lá para monetizar…

Bem … quem já tinha um canal e agora não se enquadra nestas novas regras PERDEM TODO O ACESSO A TODAS AS FERRAMENTAS de monetização. Ainda não está claro o que acontece com seus centavos de dólar por lá, mas acredito que se você continuar a gerar videos para a plataforma e se tornar novamente elegível ao programa do youtube de MONETIZAÇÃO, seu check out seja atualizado e você continue de onde parou.

As plataformas mudam suas regras e nós produtores não temos para quem reclamar, é sempre de cima pra baixo queridão!

 

Você é um DIGITAL INFLUENCER? Volte duas casas!

O mercado se altera e tudo se torna uma bagunça, até que as coisas se aquietem novamente. É sempre assim e não podia ser diferente com o mundo virtual. Resumindo: o Vine, Instagram Musicaly, Youtube geram famozinhos a cada dia, todos os dias alguém teve seu video, frase, ou meme viralizado por instantes, alguns perduram, outros não. Nesta seara – e principalmente no Instagram – aos poucos surgiram aqueles que se destacaram, pelo conteúdo.

Sim! Pelo conteúdo, elas/elas viajavam, compravam, ganhavam, mostravam, utilizavam produtos em seus dias e mais outras centenas de coisas, a estes escolhidos pelo grande público on line foi dado o nome de Digital Influencers, e aqui está mais um fato deste texto: ALGUEM LHES CONCEDEU UM TÍTULO.

Portanto digital influencer não pode se auto-intitular, pois não é profissão, não é algo que se torna fazendo um curso ou se graduando em qualquer área do conhecimento. Alguém que se destaca pelo conteúdo, pode chegar a influenciar pessoas.

Você influencia, quando outra pessoa compra algo, participa de algo, busca informações sobre algo que você disse ou fez, caso contrário você não influenciou nada nem ninguém, apenas postou algo, como qualquer pessoa no mundo.

Uma marca se relaciona com um “influencer” porque quer que de FORMA CAMUFLADA, NATURAL, um produto ou serviço seja usado por esta pessoa, afim de gerar influencia de marketing em outras pessoas, no caso, nos seguidores deste “influencers”.

E aí temos exemplos fora da casinha, fora da curva!!!, como grandes celebridades que fazem tanto o marketing lifestyle, este de usar produtos e serviços e também as tradicionais propagandas de tv, ambos os formatos são beneficiados consideravelmente e a relação custo-benefício da propaganda fica evidente.

O que tem acontecido, são pessoas DESCONHECIDAS, que COMPRAM seguidores e pacotes de CURTIDAS, criando para si mesmos uma audiência robô, fantasma, que não existe e buscando “parcerias” com empresas diversas e a forma só piora, a confusão é tanta que estas pessoas fazem comercial e não utilização natural do produto, o que é caracteristico de outra mídia e de outro profissional: Televisão e Rádio, e atriz, apresentadora, garota propaganda.

Vejo muita gente confusa por aí, abrindo contas de instagram, quando na verdade deviam estar enviando curriculos pelo linked in para agencias e empresas de entretenimento. O que você é? Se a resposta for: INFLUENCER! Então volte duas casas e reinicie o jogo.

beijo seus bunito,

 

.fernandoprado

 

Digital Influencers: Nem tudo é conteúdo!

NEM TUDO É CONTEÚDO!

Muito se fala sobre os Digital Influencers, uma transição de título para os ex-blogueiros; e olha, vou te dizer, tem mais Digital Influencer do que ex-bbb e mais ainda do que os influenciados! Por que para ter Influenciador, tem que ter influenciado certo? Simbora pensar sobre isso:

  1. Digital Influencer não é profissão, é um efeito da sua comunicação.
  2. Nem toda postagem é um conteúdo interessante comercialmente.
  3. Toda postagem é uma publicação

O que uma coisa tem a ver com a outra: Bem, primeiramente, intitular-se Digital Influencer é um erro crasso! Até porque isso não é profissão, esse é o efeito que a sua comunicação causa naqueles que o seguem, mas veja … o efeito tem que acontecer, portanto não adianta ter x mil seguidores, comprados lá naquela lojinha virtual e nenhum deles engajar com seu conteúdo.

Até por que, NEM TODA POSTAGEM É CONTEÚDO: Você tomando sorvete, ou passeando com o cachorro só será conteúdo se toda a sua comunicação convergir a um determinado tema, assunto, recorte, por exemplo, se você está falando de raças de cachorro, ou life style, ou look do dia etc… caso contrário, é apenas você querendo aparecer na sua rede social – e isso não está errado de forma alguma, a rede social é “sua”, mas convenhamos, que você não gerou conteúdo relevante a ninguém. Pergunte-se: Esta foto/vídeo/postagem de qualquer gênero, está agregando a alguém? Consigo mostrar algo além do meu rostinho bonito com essa publicação? Alguém está aprendendo algo? Estou conseguindo gerar o desejo na outra pessoa de ter aquilo que eu estou mostrando? Se sim, ótimo, você conseguiu pensar em Marketing, em conteúdo que influenciará outras pessoas, caso contrário é apenas o seu álbum de fotos pessoais.

Esse “sua” – ali atrás – está entre aspas, porque a partir do momento que a sua rede social está aberta e que você publica coisas nela, você está abrindo uma comunicação, quando a gente faz isso, devemos esperar a resposta, como num diálogo, você fala e ouve a resposta.  TODA POSTAGEM É UMA PUBLICAÇÃO: Portanto se você postou algo, este algo está agora sendo visto por muita gente – espera-se – e você terá retornos, ou terá pessoas falando de você – sem que você saiba. Pense antes de postar, tenha filtros ( não nas fotos, mas na comunicação, entendeu né!? )

RESPONSABILIDADES

Isso vale outra postagem, mas de qualquer forma já segue aqui uma lembrança: Você tem responsabilidade sobre aquilo que posta nas suas redes sociais. Se você divulgou um evento, não poste apenas o Doodle do evento como também se envolva com ele, saiba das atrações, dos horários, da venda de ingressos. São informações que seus seguidores vão precisar saber e MAIS AINDA … seus seguidores vão perder a credibilidade em você caso você não saiba! A mesma coisa, caso o evento seja cancelado, saiba o máximo de informações possíveis, como reaver o dinheiro investido, onde e os porquês do cancelamento.

Você é a “emissora” de radio/tv/impresso, portanto entregue a notícia completa. O problema nisso tudo, é que você agrega em sim mesmo/a várias funções de produtor/redator/editor chefe/ apresentador, e ganha por um só… ( pense nisso ).

 

bjo grande,

 

.fêprado

 

Está sem ideias!? Veja como ter algumas boas …

Como assim, tenha idéias?

Segundo o site Psycology Now, algumas das idéias mais rentáveis no mundo foram tomadas de forma “padronizada”, quer um exemplo? Os Beatles ou mesmo a escritora Agatha Christie. No primeiro caso, Paul McCartey disse certa vez “Essa co-autoria entre John e eu funcionava assim, Jhon sempre vinha com o primeiro verso da música, que era tudo o que a gente precisava. Ele vinha com o padrão, com o modelinho pronto.” E o mesmo aconteceu com as mais de 60 histórias que Agatha escreveu, sempre baseado em um modelo, um “template”.

“Não tenha medo de ter idéias ruins, Ruim é não ter idéias.”

A exigência pessoal pela ideia perfeita é a arma mais poderosa para te deixar parado, sem fazer nada! Pense nisso, não procure a perfeição, procure a ação, fazer qualquer coisa, muitas vezes é melhor, do que não fazer NADA! Permita-se criar, mesmo que sejam “bobagens”, estas “bobagens” vão liberar seu potencial criativo.

Não é atoa que as crianças criem o tempo todo, elas estão disponíveis ao jogo, à brincadeira e ao senso crítico liberado para o erro e a experimentação, por isso elas podem e conseguem permanecer em um estado de criação tão intenso e por tanto tempo.

Começando pelo Começo!

Vamos fazer uma experimentação agora? O que acha!? O livro “Creative Breakthoughs” de Bryan W. Mattimore traz ferramentas poderosas ( minha dica: tente todas!!! Isso já é querer dar um passo em direção à criatividade.) :

  1. Pior Ideia: Tenha primeiro as piores idéias sobre seu problema ou seu tema em questão, pensou? Nas piores, naquelas que você não faria de forma alguma! Ótimo, agora reverta elas para o contrário destas piores ideias, ou seja, tente encontrar inspiração nestas péssimas ideias, conseguindo chegar às boas ideias.
  2. A Ideia Perfeita: Pense como um grande “desejo”, se fosse possível desejar as melhores possibilidades para essa sua tarefa, o que seria? quais elementos estariam, existiriam para fazer essa sua ideia principal acontecer? Pense no impossível mesmo, nas melhores soluções, depois e somente depois de ter feito isso, você passa a adicionar elementos de viabilidade, praticidade e realidade nesta ideia. Mas veja, só funcionará se você passar pela primeira parte antes, criando a ideia perfeita.
  3. Questionamentos: É muito comum termos premissas sobre nossas idéias, elas podem nos “travar” impedindo que seu processo continue, portanto, faça uma lista delas, tire-as da sua cabeça, feito isso, agora A PARTIR DELAS crie novas idéias.
  4. Imagens de Ignição: São pontos de partida segundo o autor, para algumas pessoas, ver imagens, pode iniciar um processo de imaginação e de pensamento criativo por associação, ou seja, você vê uma foto, uma pintura, desenho entre outros e começa a partir desta imagem, a pensar em ideias parecidas, partindo das suas associações internas, isso pode ser muito rico! Jogar uma palavra no Google imagens já pode te ajudar muito.

Agradeço a Susan K. Perry por partes do artigo que traduzi livremente aqui.

Seja Observador/a

Criativos são pessoas observadoras, que estão em consonância com seu tempo. Idéias muito boas não vêm do “nada”, pelo contrário, elas vêm do “tudo” de tudo que está acontecendo à sua volta, portanto, faça outro exercício, coloque-se em movimento no seu bairro, na sua cidade, mesmo que seja na sua rua! Ande por aí, observando tudo, o comportamento das pessoas, dos animais, das “coisas”.

Leia mais livros! Mesmo que sejam digitais, não importa, leia mais!!! As pessoas hoje, leem MENOS, seja a diferença!

Conheça outros círculos de pessoas! Mesmas pessoas, mesmas idéias!

Para muitos, a meditação assim como manter um diário são processos fundamentais na hora de ter idéias inovadoras, de “pensar fora da caixa” como dizem por aí.

Não adianta estar dentro da caixa, fazer tudo dentro da caixa e pensar fora dela! Não faz sentido!

 

Boa sorte, boas idéias, boa vida!


.fernandoprado

Por que o seu Feed do Instagram precisa melhorar agora!?

O Instagram

é seu e você faz o que bem entender! Certo? Certo! Certíssimo! Tendo isso dito e entendido, vamos passar para o próximo passo, você seguiu, digamos, 20 contas novas no Instagram, e espera de que elas visitem o seu perfil e que sigam você de volta, mas quando você vai conferir, somente 5 das 20 estão te seguindo, isso é chato não é mesmo? Portanto como ter mais beleza no seu feed, mais harmonia por assim dizer e aumentar as chances de ter a sua conta ainda mais seguida? Veja só estes exemplos abaixo, perceba como estão harmônicos, como é gostoso olhar para eles! Vamos às dicas encontradas na rede!

 

Os PROs orientam

Passo 1: Perceba as cores principais em cada foto individual.
Passo 2: Agora perceba os elementos em cada foto individual.
Passo 3: Não deixe fotos muito parecidas, próximas. Espace estas fotos.

 

EDITE SUAS FOTOS

Você não precisa postar nem a primeira e única foto que você fizer, assim como não precisa e não deve postar qualquer foto sem alguma edição, veja, nada é tão perfeito que não mereça um ajuste.

Com muita calma nessa hora, brinque com o Brightness, Contraste, Saturação e Sombras e antes que você me pergunte qual App usar, saiba que estes controles você tem no editor de fotos do Android e do iPhone. Mas se mesmo assim você quiser baixar um App, sugiro o Facetune ou o SnapSeed.

SEU INSTAGRAM, TERÁ UM TEMA

Escolher um tema é algo que dá estilo aos Instagrammers ditos profissionais. Fotografar elementos semelhantes dão harmonia ao seu feed, desde algo mais branquinho, ao Nude, Tons Pastéis, Mais escuro e contrastado, tudo isso dá identidade visual ao seu álbum. Pense no Instagram a partir de agora, não como fotos individuais, mas sim como um grande álbum, tudo precisa seguir uma linha.

PLANEJE AS POSTAGENS

Se você quer ter um visual mais limpo e harmônico no Instagram, esqueça essa mania de postar tudo aquilo que você fotografa e no momento exato que a “coisa” acontece! Isso é passado para você, seu presente se resume em planejamento! Existem Applicativos para isso, como o Planoly, Unum e Mosaico, por exemplo. Ali você vai brincar com o instagram e vai planejar suas novas postagens, ver quais fotos ficam melhor perto das outras e no APP do Instagram propriamente dito, você vai subindo as postagens, de acordo com seu planejamento prévio. E atenção NÃO É POSSÍVEL ALTERAR A ORDEM DE FOTOS JÁ POSTADAS NO INSTAGRAM! Seu planejamento é para o futuro!!!

 

 

MANTER UM PADRÃO

Manter um padrão é interessante porque primeiro proporciona novidade ao seu seguidor, ele verá sempre algo diferente, ao invés de duas selfies direto, ou três posts identicos na sequência! Portanto muitos instagrammers preferem criar um mapa de postagens, usando tópicos e estes títulos orientam suas próximas postagens, veja e se inspire em algumas das idéias que trouxemos aqui:


 

Digital Influencers: Alguns erros Comuns ao Contrata-los!

Quem são eles?

Os Digital Influencers são, em suma, pessoas que tem seguidores, engajamento e nicho de mercado on line, seja em um Blog, em um Vlog – um Canal do Youtube – ou no Instagram, por exemplo. São pessoas que têm opinião sobre um nicho de mercado, postam sempre conteúdos interessantes e transformaram suas paixões em profissão.

Foi natural a transição da mídia tradicional para estes Influencers, uma vez que tê-los em seu evento, lançamento de produto, coquetel, etc … os torna de alguma forma embaixadores da sua marca, mas para evitar os mal entendidos que podem vir a acontecer, vamos repassar um por um.

 

 

O que eu quero!?

Você quer, por exemplo, lançar um produto e fará um coquetel para fazer com que muitas pessoas saibam do seu produto. Ótimo! Você decidiu colocar, entre os convidados, vários Digital Influencers, lembre-se que a partir deste ponto você precisa definir estratégias.

Qual é meu nicho de mercado? Quais são os Digital Influencers da minha região que se envolvem de alguma forma com meu tema? Veja, que não é que seja uma regra fixa chamar apenas os Influencers do seu nicho, mas convenhamos que chamar Instagramers Fitness para o lançamento de um produto “gordice” não é muito interessante, na verdade é um contra senso.

É claro, que você pode chamar pessoas, pelo bom relacionamento da sua marca, podem ser seus conhecidos, amigos e isso pode ser levado em consideração na hora de organizar a lista de convidados, mas estamos tratando aqui, de uma lista específica.

 

O que eu quero, PARTE 2!

Quero apenas convidá-los para estar lá comigo neste lançamento! Ok! Se é isso, tenha claro em sua cabeça, que estas pessoas podem postar OU NÃO POSTAR, direto do seu evento. Isso fica a cargo deles, da vontade deles, se fizerem, ótimo, é chamado de Mídia Espontânea, mas se não fizerem, você, como empresário, não tem o direito de achar que eles não fizeram seu trabalho, ou mesmo ficar chateado com isso. Eles eram apenas seus convidados e não tinham nenhuma obrigação comercial com você ou seu evento.

ou …

Quero convidar vários influencers para estarem comigo no evento, mas quero selecionar dois ou três para repercutirem o evento, isso pode significar que eles podem postar um dia antes, uma semana antes, antecipando o evento, podem fazer Insta Stories direto do evento, podem entrar ao vivo de lá, podem postar em sua timeline, ou escrever para um blog, isso é trabalho e será cobrado de você.

 

Como escolher o Digital Influencer?

Esqueça o critério “milhões de seguidores”, porque com a profusão dos nichos, hoje está todo mundo espalhado, ou seja, existem Digital Influencers com 15 mil seguidores e que fazem a diferença em seu nicho assim como os de 1 milhão de seguidores.

A questão não é quem tem mais, até porque hoje é muito fácil comprar seguidores, curtidas e até mesmo visualizações de vídeos no Youtube, basta jogar esses dados no Google, e encontrar pacotes para comprar. Portanto, você como empresário, não se iluda com as quantidades de seguidores, muitas vezes isso não representa uma audiência real.

Escolha seu Digital Influencer para sua campanha de midia, pela relevância dele na cidade, na sua região e nos engajamentos que ele proporciona na internet, confira se este Influencer se comunica bem, caso você precise de um porta-voz, ou se fotografa bem, caso seja uma campanha baseada na imagem dele, se ele domina algum assunto, tudo isso conta na hora de ter alguém representando sua marca.

 

Um Digital Influencer substitui a mídia tradicional?

Não! Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa! (rs). Veja, a internet trouxe a idéia de nichos, temas específicos, pessoas podem ser muito conhecidas por internautas de moda e não por internautas que buscam culinária por exemplo e vice-versa.

Portanto, trabalhar com um digital é falar com uma audiência específica, se você tem bala na agulha, teste também, ao mesmo tempo, as mídias tradicionais, como TV, RÁDIO e IMPRESSO, se não tiver tanto recurso assim, vá aos poucos, organize sua comunicação durante o ano e vá investindo aos poucos, alternando as mídias.

Outro erro muito comum entre empresários, é fazer mídia com um Digital Influencer e querer que o telefone de sua loja toque imediatamente, ou que as vendas aumentes agressivamente, da noite para o dia, de uma semana para outra.

Veja, se nem fazendo televisão em horário nobre te garante isso, imagine via internet para nichos específicos.

Tenha calma! Vale a pena trabalhar com Influencers, mas pense em médio a longo prazo para resultados que se mantenham, é fundamental desenhar uma estratégia de comunicação na sua empresa onde a marca tenha manutenção, que seja falada e portanto lembrada por muito tempo.

 

E não se esqueça de montar um contrato com seu Digital Influencer, onde conste o que você está comprando ( o uso de imagem dele, se é audio, foto ou vídeo, se são posts, quantos e quando, etc…), o que ele está vendendo e por quanto tempo, mas isso eu falo no próximo post.

Em poucas palavras…

  1. Faça uma lista dos Influencers da sua região, selecione nicho e critério de escolha desta pessoa.
  2. Não exija o que não foi combinado, como posts e fotos, se não foi “pago” por exemplo.
  3. Estabeleça tempo, duração e especificidades das parcerias.
  4. Não exija postagens de um grupo de “simples” convidados do seu evento.
  5. Muitos seguidores e Muitas Curtidas nem sempre significam real audiência.
  6. Cada mídia tem sua função, a tradicional tem seu espaço e as novas mídias também, separe as coisas.
  7. Não se frustre querendo que o telefone toque já no outro dia, vendendo milhões de reais em sua loja.
  8. Construa um planejamento de comunicação com seus influencers.
  9. Tenha tudo em contrato.
  10. Parcerias ( no próximo post )

 

Abraços!

 

Pesquisa aponta que o brasileiro lidera uso de apps por dia, mas essa liderança exige cuidados dos usuários

Os brasileiros acessam aproximadamente 11 aplicativos por dia em seus tablets e celulares, gastando 180 minutos diários nos apps de acordo com estudo realizado em 9 países pelo App Annie, divulgado no site Olhar Digital. Segundo a publicação, em 2015 o brasileiro passava pouco mais de 150 minutos por dia nos apps e no início deste ano foi registrado um crescimento desta permanência em 30%. Esses números servem como alerta para cuidados necessários por parte dos usuários e revela oportunidades para empreendedores, de acordo com o engenheiro de software e diretor de engenharia da CroSoften Tecnologia, Rafael Melo.

As pessoas estão acostumadas com o uso de dispositivos móveis, principalmente o celular, que possivelmente nem percebem que utilizam tantos aplicativos diariamente e ficam até 3 horas com o tempo ocupado nesta utilização ao longo do dia. De acordo com o engenheiro de software, esta nova utilização dos celulares revela a importância na hora de fazer a compra de um aparelho, pois para que atendam as necessidades dos usuários devem ser observados alguns requisitos. “A cada dia, surgem novos apps para os mais variados fins, somados aos já tradicionais e conhecidos de redes sociais, bancos e comunicação. É grande o número de pessoas que utilizam aplicativos para leitura, estudos, paquera, controle de contas e até atividades físicas. O que muitos não se atentam é que esses aplicativos ocupam espaço em sua instalação e exigem memória para utilização, por isso na compra de um celular ou tablet é preciso imaginar o que vai utilizar para fazer a melhor escolha com o custo/benefício adequado”, alerta Rafael Melo.

De acordo com o estudo do App Annie, o tempo total gasto de 3 horas é dividido em diversos aplicativos e não apenas em um ou outro. A pesquisa aponta que na maior parte dos países analisados, apenas 20% do tempo é gasto com os apps mais baixados, como o Facebook e o WhatsApp. “É preciso lembrar ainda que, além dos apps, a maioria dos usuários tem grande quantidade de fotos e arquivos que são baixados e recebidos em apps de mensagens também e tudo isso ocupa espaço e gasta memória”, ressalta.

Com as pessoas cada vez mais vez envolvidas no uso dos aplicativos, a quantidade instalações tem crescido e, ainda segundo a pesquisa, em 2016 foram baixados mais de 90 bilhões de apps para Android e iOS nas lojas oficiais. Essa quantidade indica também o crescimento de opções em aplicativos. “Temos visto a cada dia o surgimento de um novo app que tem algo interessante a oferecer. Solicitar um meio de transporte, adquirir produtos e serviços, lazer, tudo pode ser feito por meio dos aplicativos e com isso quem tem uma boa ideia pode também se tornar um grande empreendedor neste mundo virtual”, analisa Rafael Melo, ao lembrar que a busca por consultoria sobre como desenvolver e lançar aplicativos também tem crescido. “Muitas pessoas tem ideias, mas não sabem como fazer, daí nos procuram para saber qual o caminho. No entanto, ter a ideia não é suficiente para conseguir lançar um app e conquistar o público. Isso não é bem assim, é preciso uma pesquisa, estudos direcionados e estratégias para atingir bons resultados. Para isso existem consultorias em tecnologia e negócios, como as que fazemos”, conclui o engenheiro.

38% dos profissionais gastam mais de 1 hora no Whatsapp

No mundo corporativo, é comum as empresas liberarem o uso das redes sociais. Algumas até trabalham diretamente com essa ferramenta. Muitos negócios são fechados pelos facilitadores do Facebook e o Whatsapp. Mas, é preciso cuidado para não extrapolar, em especial quando o uso é liberado, mas o trabalho não depende desses meios para se comunicar!!!

 

O problema é quando ocorre o uso desenfreado das ferramentas. De acordo com a analista comportamental, Hérica Santos, o uso pessoal excessivo de aplicativos no ambiente corporativo vem trazendo prejuízos às empresas. “Para ajudar os funcionários a focarem no trabalho, algumas empresas limitam o acesso a determinados sites, por exemplo, para não prejudicar o cumprimento das tarefas. Isso é assegurado por lei e pode gerar punição, caso o colaborador não respeite as regras, mas hoje, com wifi esse controle se torna mais difícil”, explica.

 

Segundo o site de busca de empregos Jobatus, o Whatsapp é o aplicativo que mais impacta a produtividade dos profissionais brasileiros. A enquete realizada mostra que 93,8% das mulheres e 88,3% dos homens afirmaram utilizar o meio de comunicação com fins pessoais enquanto trabalham.

 

No caso de redes sociais, o uso cai para 63% para mulheres e 52% para homens. Do total, 38,2% afirmaram gastar mais de uma hora útil de trabalho em aplicativos no smartphone. Apesar dos números elevados, 28,4% dos usuários acreditam que o uso dessas ferramentas não causa distração e apenas 12% dizem acreditar que essa utilização é prejudicial.

 

De acordo com Hérica Santos, muitas pessoas ficam dispersas, conversam sobre assuntos particulares e perdem muito tempo utilizando esses aplicativos. “Na verdade, um dos grandes problemas que as pessoas enfrentam é não saber gerir o tempo, se organizar para entregar as atividades no trabalho a tempo, então, o mau uso desses aplicativos pode prejudicar o resultado”, afirma.

 

Open chat
1
Contato apenas para orçamentos.
Contato apenas para orçamentos.