Vai pra lá com esse cigarro!

Fumar já foi chique. Era sinônimo de elegância em época que o homem ainda não mensurava os danos causados pelo cigarro. Atualmente, campanhas publicitárias e até leis são implementadas para coibir o ato de fumar, prejudicial à saúde. No dia 31 de maio é comemorado o Dia Mundial sem Tabaco. No Brasil, são 200 mil mortes anuais e as estatísticas apontam que 90% dos casos de câncer no pulmão estão relacionados ao fumo. Em todo o mundo o número chega a seis milhões.  De acordo com o Inca – Instituto Nacional de Câncer, todos os derivados do tabaco, usados nas formas de inalação, aspiração e mastigação são nocivos à saúde, sendo mais de 4 mil substâncias tóxicas, muitas delas cancerígenas.

Cigarro 1

 

Dados sobre o fumo:

45% das mortes por doença coronariana (como o infarto do miocárdio);

85% das mortes por doença pulmonar obstrutiva crônica (como o enfisema);

25% das mortes por doença cerebrovascular (como os derrames);

30% das mortes por câncer, sendo que

90% dos casos de câncer de pulmão ocorrem em fumantes.

90% dos fumantes começam a fumar antes dos 19 anos, sendo que 15 anos é a idade média de iniciação.

Se um fumante decidir parar de fumar, veja o que pode acontecer: 

Após 20 minutos, a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal.

Após 2 horas, não há mais nicotina circulando no sangue.

Após 8 horas, o nível de oxigênio no sangue se normaliza.

Após 12 a 24 horas, os pulmões já funcionam melhor.

Após 2 dias, o olfato já percebe melhor os cheiros e o paladar já degusta melhor a comida.

Após 3 semanas, a respiração se torna mais fácil e a circulação melhora.

Após 1 ano, o risco de morte por infarto do miocárdio é reduzido à metade.

Após 10 anos, o risco de sofrer infarto será igual ao das pessoas que nunca fumaram.

Mais informações e dicas de como parar de fumar pelo link do Inca.

Categorias: Destaque

Deixe uma réplica

Seu email não pode ser publicado.