Hospital Santa Genoveva realiza “Campanha do Agasalho”

Com a queda das temperaturas, as classes mais baixas e instituições que atendem um grande número de pessoas acabam afetadas, como asilos, orfanatos, albergues, entre outros. A demanda de agasalhos e cobertores é grande, o que faz com que muitas empresas criem campanhas para arrecadação desses materiais. É o caso do Santa Genoveva Complexo Hospitalar, que realiza  mais uma vez a “Campanha do Agasalho”.

“Mobilizamos todos os colaboradores e médicos para arrecadar o maior número de agasalhos possível. É um trabalho muito importante e será gratificante poder contribuir”, conta Carolina Silva, coordenadora de Gestão de Pessoas.

Os familiares de pacientes e visitantes também podem ajudar, entregando os donativos na recepção central da instituição. Podem ser doados roupas, agasalhos, sapatos e cobertores novos ou usados. A arrecadação vai até o dia 30 de junho e todo material será doado para a instituição CEAMI Resgate.

 

Campanha do Agasalho

Período: até 30 de junho

Ponto de arrecadação: Hospital Santa Genoveva – Recepção Central (Av. Vasconcelos Costa, 962 – B. Martins)

Horário: das 7h às 19h

Saiba como cuidar do seu pet em dias de frio e tempo seco

Assim como os humanos, os pets também sofrem com o frio e podem ficar resfriados, por isso roupinhas e banhos com água quente não são mimos e sim uma necessidade para os peludinhos, por exemplo. O inverno já está aí e os cuidados com os animais de estimação devem ser redobrados. E cada espécie de pet requer atenção especial.

Veterinária Mariana Mauger listou algumas informações importantes de cada pet. Veja a seguir:

Pet Inverno 1 Capa Foto Divulgação

1. CÃES
– Os filhotes e cachorros mais idosos são os que mais sofrem no inverno, pois seu organismo é mais sensível às alterações de temperaturas. Agasalhar os animais mais novos e mais velhos é essencial já que eles não têm uma camada de gordura muito espessa e podem sentir mais frio. Além disso, os cachorrinhos mais idosos podem sofrer com artrose e o clima mais gelado faz com que sintam dores na coluna e nas articulações.

– A Traqueobronquite Infecciosa, conhecida como a “tosse dos canis”, é um vírus e é transmissível ao ser humano. Os principais sintomas são excesso de tosse seca e contínua e para prevenir as vacinas antirrábica e a múltipla devem estar em dia.

– Outro cuidado especial é evitar que o animal fique exposto à friagem ou corrente de vento. Para a caminha, o ideal é colocá-la em cima de uma tábua ou forrá-la com cobertores, para protegê-los do chão frio.

2. GATOS
– Para manter os gatinhos mais quentes, estimule o banho de Sol, deixando cortinas abertas.

– É importante também verificar se as vacinas estão em dia, principalmente contra a rinotraqueíte, doença que tem maior incidência durante o inverno e é responsável por cerca de 45% das doenças respiratórias felinas.

– Com o frio, os felinos dormem mais e não são tão ativos, por isso acabam bebendo menos água. É fundamental incentivar o consumo do líquido, para evitar problemas urinários.

Pet Inverno 53. PÁSSAROS
– Os pássaros são animais mais sensíveis às mudanças de temperaturas. No inverno, as correntes de vento frio acabam “furando” a proteção dos animais. Cada pássaro tem espaços pequenos entre as penas que são expostos ao vento e chuva, por exemplo. Mesmo com as penas o animal sente frio e desconforto. Uma alternativa é cobrir as gaiolas à noite, com lona ou tecido escuro.

– Além de aquecido, o local deve estar umidificado. Uma bacia com água e uma lâmpada de cerâmica no espaço onde o passarinho costuma ficar podem ajudar.

4. PEIXES
– O primeiro aspecto que o dono de peixes deve ficar atento é quais as características daquela espécie. Por isso, é importante checar a temperatura da água ou aquário.Pet Inverno 3

– Para o peixe Beta o ideal é que a temperatura fique em torno de 25º C.

– Já as carpas, são espécies que vivem em águas mais frias, entre 15º C e 20º C.

– Tenha em casa termômetro e aquecedor para aquários – podem ser usados com frequência nesta época do ano.

5. ROEDORES
Os pets, como hamsters, chinchilas, furões e porquinhos da índia, precisam de atenção especial nas baixas temperaturas. Muito parecido com os das aves, os cuidados com os roedores também devem ser voltados para abriga-los contra o frio, pois são animais mais sensíveis.

Pet Inverno 4– As gaiolas dos roedores costumam ficar em cima de mesas ou até mesmo no chão, exposto ao vento. Sugestão da veterinária Mariana Mauger é deixar o roedor dentro de casa, em local fechado.

– A água deve ser trocada diariamente, bem como a forragem da gaiola, A forragem, nesta época, deve ser reforçada – quantidade maior de papelão ou camadas de jornais. Complementar o processo com serragem é excelente para auxiliar na formação de uma camada isolante, que mantenha a temperatura ambiente em grau que seja confortável para o pet.
6. RÉPTEIS
Diferente dos mamíferos, que mantém o corpo aquecido em torno de 35 ºC, mesmo no frio, a temperatura corporal dos répteis reflete a temperatura ambiente. Ou seja, se estiver 10C e o animal não tiver onde e como se aquecer, sua temperatura corporal ficará em torno dos 10C também. Para evitar essa situação, que prejudica a saúde do pet, a orientação é utilizar lâmpadas de cor vermelha nos locais onde iguanas, tartarugas, jabutis e cobras costumam ficar. “Além de esquentar o ambiente, a luz vermelha emite uma frequência que os répteis não enxergam. Se o animal for muito grande, uma ideia é construir uma casinha e colocar uma lâmpada, assim o pet consegue se aquecer melhor, estimulando o seu metabolismo”, finaliza Mariana.

É sempre importante garantir o bem-estar dos animais, principalmente no inverno, então guarde as recomendações e lembre-se de mantê-los aquecidos, com comida o suficiente e vacinado contra as doenças características da estação.

ASSISTA

Neste vídeo foram destacados pontos primordiais para o cuidado dos pets durante o inverno:

 

 

Bazar de inverno em prol ao Hospital do Câncer de Uberlândia

Nesta terça (14) e quarta-feira (15), o Hospital do Câncer em Uberlândia promoverá um bazar de inverno. Em ambos os dias, a atividade será realizada das 13h às 17h, na rua Professor José Inácio de Souza, 3.212, no bairro Umuarama. Serão disponibilizadas peças de inverno em bom estado de conservação, como agasalhos, moletons, casacos e calças de diversos tamanhos e modelos. Todo o valor arrecadado será destinado ao Hospital do Câncer. As peças variam de R$ 5,00 a R$ 50,00 e podem ser adquiridas em dinheiro ou com cartão de crédito e débito.

Doações

Qualquer pessoa pode ajudar com doações de roupas e calçados em bom estado de conservação. A entrega pode ser feita no saguão do Hospital, no espaço do Grupo Luta Pela Vida. Os doadores também podem agendar coleta a domicílio pelo telefone 3291-6160.

Serviço – Bazar do Hospital do Câncer

14 e 15 de julho

das 13h às 17h

Rua Professor José Inácio de Souza, 3.212 – Umuarama

Serifa Comunicação

Riscos à saúde dos olhos no inverno: ‘Síndrome do olho seco’

O inverno se aproxima. As temperaturas já deram uma mostra de que esse ano o frio pode ser bem rigoroso. Sendo assim, as blusas e cobertores serão retirados do fundo do guarda-roupa para aquecer e mudar o visual. Mas, não somente as vestimentas devem ser motivo de preocupação. No inverno as pessoas tendem a permanecer em ambientes fechados e isso facilita a ação de alguns agentes que podem prejudicar os olhos e causar doenças como a conjuntivite e a “síndrome do olho seco”.

Ácaros da poeira doméstica, pelos de animais, polens e fungos no ar. Todos circulam livremente. No entanto, estando em um local com pouca circulação de ar a ação deles nos olhos pode ser nociva. Pessoas alérgicas, consideradas atópicas, apresentam, nesta estação maior frequência de manifestações alérgicas de um modo geral, incluindo as oculares.

A oftalmologista Raquel Paiva afirma que nessa época do ano o alerta é para o risco da conjuntivite alérgica. “No inverno, são mais frequentes os sintomas da síndrome do olho seco e as conjuntivites, principalmente as virais, acompanhando muitas vezes os resfriados e as alérgicas por contato, devido os cobertores e agasalhos ficarem guardados por muito tempo”, alerta a médica. A conjuntivite, por exemplo, é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular (o branco dos olhos) e o interior das pálpebras. Ela causa dor, coceira e secreção nos olhos.

De forma semelhante, a “Síndrome do Olho Seco” causa sensação de estar com “areia nos olhos”, visão borrada, coceira, olhos vermelhos, ardor, irritação e lacrimejamento excessivo.  “Esses sintomas são característicos de quando há ressecamento do filme lacrimal, o qual provoca irritações e lesões que podem facilitar inflamações e infecções”, informa a médica. “Isso pode ser agravado pela idade, diabetes, uso de lentes de contato, ar condicionado e tempo demais em frente a tela de computador”, completa a oftalmologista Raquel. Além disso, outros fatores externos também podem contribuir com o problema, como por exemplo, a baixa umidade do ar, o vento constante e a poluição em níveis mais altos.

Por fim, sempre que surgirem alguns sintomas a dica é não esperar muito tempo. “Procurar um oftalmologista sempre que aparecer um pequeno problema é a melhor saída”, arremata a médica Raquel.

Serifa Comunicação

9 dicas de cuidado com a pele no inverno

O inverno está chegando e todos sabemos que ele não é um grande amigo da pele humana. A estação mais fria do ano muitas vezes deixa os ambientes mais secos e com pouca umidade, o que provoca rachaduras e ressecamento da pele. Por isso, selecionamos nove dicas básicas de cuidado com a pele no inverno. Confira!

1. Hidratar, hidratar, hidratar.
A hidratação é parte essencial do cuidado com a pele, principalmente em temperaturas frias e secas. Certifique-se de escolher um produto que é específico para o seu tipo de pele e lembre-se de aplicar logo após o banho para penetrar a pele com mais facilidade.

2. Não descarte o umidificador.
Sim, ele ocupa espaço e, sim, não é o primeiro item em sua lista de Natal, mas o vapor adicional irá ajudar na hidratação além de prevenir a irritação e descamação da pele.

3. A vaselina é sua melhor amiga.
Pés, cotovelos e joelhos ressecados? Então a vaselina pode ser a sua melhor miga neste inverno. De pomada para os lábios, a hidratante para os pés e removedora de maquiagem, esta substância pegajosa pode “consertar” praticamente qualquer coisa.
3 cauidado com a pele - vaselina

4. Carregue o creme para as mãos.
Mãos rachadas? Não se esqueça de levar na bolsa o hidratante para evitar o ressecamento das mãos.
4 cuidado com a pele - creme para as maos

5. Não tome banho em água muito quente.
Sabemos que é tentador, mas tomar banho em temperaturas escaldantes tende a ressecar ainda mais a pele. A água quente remove os óleos naturais da pele, e quanto mais óleos forem removidos, mais seca ela torna.

6. Escove seus lábios com uma escova de dentes para se livrar do excesso de pele.
Porque ninguém gosta de ficar com os lábios rachados.
6 cuidado com a pele - labios rachados

7. E aquelas manchas ressecadas embaixo dos olhos?
Utilize um creme noturno para ajudar a manter a área embaixo dos olhos hidratada.

8. Dispense lenços removedores de maquiagem da farmácia.
Os lenços podem ser convenientes, mas o creme limpador além de remover a maquiagem, também hidrata a pele. Sem contar que produtos com álcool e sulfato adicionados irritam e ressecam ainda mais a pele.

9. Nunca se esqueça da manteiga de cacau.
NUNCA.

Bônus: Não raspe as pernas muitas vezes!
Ter pelos é melhor do que ficar com a pele descamando… e quem se importa, você vai estar vestindo calças de qualquer maneira. 🙂
10 cuidado com a pele

Via: Health.com, Huffington Post

Open chat
1
Contato apenas para orçamentos.
Contato apenas para orçamentos. https://fernandoprado.com/tag/inverno