Microagulhamento é a nova aposta contra queda de cabelo

Hoje as clínicas contam com tratamentos efetivos para a queda de cabelo, que podem prevenir o problema e tratar o volume capilar de homens e mulheres. Entre eles está uma nova técnica para tratamento de queda de cabelo, inclusive a calvície denominada microagulhamento.

No microagulhamento utilizam-se pequenas agulhas para estimular a circulação sanguínea e criar um estimulo inflamatório no local, como também facilitar a penetração de medicamentos na pele que podem potencializar os resultados, estimulando e reforçando o folículo capilar.

De acordo com a dermatologista Juliana Gumieiro, é necessário realizar em torno de 3 a 4 sessões para que os resultados sejam percebidos.

“Nas sessões são realizadas aplicações de medicamentos no couro cabeludo para estimular o folículo a melhorar a qualidade do fio e dar mais volume aos cabelos. Pode ser feito em homens e mulheres. E o indicado é manter o tratamento associado a medicações orais para manter melhores resultados em caso de calvície”, explica.

Antes de planejar e iniciar qualquer tipo de tratamento é preciso encontrar as causas da queda. “Realizamos um exame chamado tricograma digital para avaliar as causas, que podem ser: genética, falta de vitaminas, alteração hormonal, entre muitas outras. Feito isso, iniciamos o tratamento associando medicações, loções e tratamento no consultório, escolhidos individualmente para cada paciente. Qualquer tratamento é mais eficiente se iniciado precocemente e feito individualizado para cada paciente”, reforça a especialista.

 

Microagulhamento na pele

O tratamento também pode ser feito na pele com o objetivo de estimular o colágeno. Junto com o procedimento pode ser aplicado algumas medicações para potencializar resultados. Geralmente é indicado para melhorar a aparência envelhecida por meio da redução de rugas, combater à flacidez facial, melhorar a textura e aumentar a luminosidade. A recuperação da pele é bem rápida e após o procedimento os resultados são excelentes.

Categorias: Leia Também

Deixe uma réplica

Seu email não pode ser publicado.