por Érica Magalhães Já imaginou usar o teatro para mediar conflitos? O Grupontapé de Teatro de Uberlândia-MG, que tem mais de 20 anos de estrada, inspirado no modelo teatro-fórum de Augusto Boal – um dos grandes nomes do teatro contemporâneo internacional-, criou o Teatro Debate que tem como objetivo utilizar o teatro para promover reflexões

por Érica Magalhães


Já imaginou usar o teatro para mediar conflitos? O Grupontapé de Teatro de Uberlândia-MG, que tem mais de 20 anos de estrada, inspirado no modelo teatro-fórum de Augusto Boal – um dos grandes nomes do teatro contemporâneo internacional-, criou o Teatro Debate que tem como objetivo utilizar o teatro para promover reflexões acerca dos mais variados conflitos, sendo essa a principal ação do mais novo projeto do Grupo denominado “Cultura como mediadora de conflitos”. Já foram realizadas até o momento 08 apresentações, reunindo um público de 800 pessoas cidade de Uberlândia, sendo que uma delas foi com o tema da alienação parental no salão do júri, no Fórum de Uberlândia, numa parceria com o Ministério Público Estadual.

Serão realizadas mais três apresentações em Uberlândia, sendo uma na Universidade Federal de Uberlândia – UFU em parceria com a PUC Minas e duas na Escola Livre do Grupontapé; as demais serão realizadas nas cidades vizinhas de Araguari-MG e Ituiutaba-MG, sendo dias 09 de novembro, em Araguari, no Salão Paroquial da Igreja Sr. Bom Jesus da Cana Verde e nos dias 26 e 27 do mesmo mês, na Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG, em Ituiutaba-MG.

O projeto, aprovado em 2014 por meio da Lei Rouanet, só agora conseguiu sair do papel e ser executado. Segundo a atriz do Grupo e presidente da Comissão de Cultura da OAB, Katia Bizinotto, isso se deve à captação parcial dos recursos e também às parcerias que foram firmadas entre o Grupontapé e a sociedade civil, por meio da OAB-Uberlândia e da Comissão de Cultura da Ordem, além do apoio das instituições de ensino, principalmente, que aderiram ao Projeto.

Ainda segundo Bizinotto, que também é uma das coordenadoras do Projeto, a ideia de propiciar que o trabalho chegue ao público em geral, mas ao mesmo tempo garantir a participação dos estudantes é uma forma de contribuir para a construção de novos paradigmas em relação à cidadania e à justiça.  “A ideia central do trabalho é mostrar que há mais de um caminho para se evitar ou minimizar os conflitos ou ainda para chegar numa condição em que o conflito seja solucionado, e o teatro nos ajuda a sair do nosso lugar e a nos colocarmos no lugar do outro. É um grande exercício para quem se coloca na cena, mas também para todos que observam, que falam ou que apenas escutam. As pessoas acabam ficando com alguma reflexão”, argumenta.

 

 

 

Serviço:

Cultura como Mediadora de Conflitos

  • Data: 09/11/2018

Horário: 19h30

Local: Salão Paroquial da Igreja Sr. Bom Jesus da Cana Verde

Endereço: Rua José do Patrocínio, 33 – Centro

Cidade: Araguari/MG

  • Data: 14/11/2018

Horário: 19h30

Local: UFU – Campus Santa Mônica  – Auditório 5R – A e B

Endereço: Av. João Naves de Ávila, 2121 – Santa Mônica

Cidade: Uberlândia/MG

  • Data: 26/11/2018

Horário: 19h

Local: UEMG – Universidade do Estado de Minas Gerais – Bloco C

Endereço: Rua Vereador Geraldo Moisés da Silva, s/n

Cidade: Ituiutaba/MG

  • Data: 27/11/2018

Horário: 08h

Local: UEMG – Universidade do Estado de Minas Gerais – Bloco A

Endereço: Rua Vereador Geraldo Moisés da Silva, s/n

Cidade: Ituiutaba/MG

  • Data: 27 e 28/11/2018

Horário: 19h

Local: Escola Livre do Grupontapé de Teatro

Endereço: Rua Tupaciguara, 471 – Aparecida

Cidade: Uberlândia/MG

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Contato apenas para orçamentos.
Contato apenas para orçamentos.