‘Ensina-me a Viver’ reacende memórias de Uberlândia

O estrondoso sucesso que o filme e o livro de Collin Higgins, ‘Harold na Maude’, fizeram na década de 70 em todo o mundo é algo que ressoa e se multiplica com o passar das décadas, demonstrando a força de uma obra de arte atemporal.

É assim que “Ensina-me a Viver”, estrelado por Glória Menezes e Arlindo Lopes, chega ao Teatro Municipal de Uberlândia entre 17 a 20 de Setembro: envolvido em uma atmosfera de sonho, resgatando memórias e vínculos afetivos.

“Na década de 80, quando a 1ª versão brasileira de ‘Harold e Maude, Ensina-me a Viver’, estreava no Rio de Janeiro, dirigida por Domingos de Oliveira, com Diogo Vilela e Henriette Morineau nos papeis títulos, por aqui, em Uberlândia, no palco do Teatro Rondon Pacheco, coincidentemente, também estreávamos a mesma peça”, recorda o jornalista e produtor cultural Carlos Guimarães Coelho que, além de assinar a adaptação na época, fazia o papel principal de Harold ao lado da lendária Francisca Garcia de Souza, mais conhecida como Dona Chiquinha, já falecida.

Sumaya Mattar, que na época interpretou a senhora Chansen, mãe de Harold – uma milionária, fútil, fria, controladora, que não demonstrava afeto e ficava indiferente às inúmeras tentativas do filho de chamar sua atenção – hoje é professora de Arte-Educação na Universidade de São Paulo (Eca-Usp) e também relembra com carinho o que viveu em Uberlândia.

“Foi uma experiência única e muitíssimo especial, porque éramos jovens com uma vontade enorme de fazer teatro e que se iniciavam com uma mulher incrível – dona Chiquinha – a Maude! – para quem tudo era possível, desde que com muito trabalho e dedicação”, conta.

Mattar recorda ainda como, já em idade avançada, Dona Chiquinha trabalhava arduamente (vendendo salgadinhos, fazendo manicure, entre outros) para realizar suas peças, e conciliava, sabe-se lá como, a vida do dia a dia, de dona de casa, com a de atriz e diretora de grupo de teatro, rodeada de jovens.

“Foi um aprendizado único num momento decisivo da vida. Dona Chiquinha não nos ensinou só a trabalhar, nos ensinou, especialmente, a sonhar juntos e a ver a arte como um campo possível de realização destes sonhos”, ressalta Mattar.

Ivens Tilman que fazia dois papéis na peça, conta que o grupo realizou várias apresentações na cidade e também no Teatro Vianinha, em Ituiutaba. “Foi realmente maravilhoso trabalhar com aquela equipe. Nunca esquecerei Dona Chiquinha”, afirma Tilman, para quem reviver esta história com Glória Menezes não tem preço. “Estou ansioso para chegar o dia. Tenho certeza de que será maravilhoso ver essa atriz tão brilhante, tão entregue ao teatro, no papel de Maude”, diz.

Com a vinda da nova versão da peça para Uberlândia, outra grande figura que ressurge é o também falecido, Roberto Rezende, o qual empresta nome ao teatro de bolso da Oficina Cultural de Uberlândia devido à importância que teve para o teatro e a produção cultural da cidade.

Foi ele quem dirigiu a adaptação na década de 80, que contou também com os atores: Geraldo Rezende Júnior, Denise Brito, Tânia Mendonça, Euler Martins Cardoso, entre outros.

Para Carlos Guimarães, que viveu tudo isso há alguns anos e agora é o responsável por ‘Ensina-me a Viver com Glória Menezes’ em Uberlândia, esse trabalho tem um prazer maior do que os demais.

“Foi muito emocionante assistir essa nova versão no Rio de Janeiro. Um passeio no tempo. Relembrei de muita gente e é claro de algumas pessoas da nossa equipe que já não vivem mais. Tenho orgulho de estar viabilizando isso, não só pela qualidade do que o público vai ver, mas também por estar resgatando um pouco de nossa história”, acrescenta Guimarães.

 

Mais sobre a peça em Uberlândia

A montagem de “Ensina-me a Viver”, que estará em cartaz entre 17 e 20 de Setembro no Teatro Municipal de Uberlândia, conta com Arlindo Lopes e Glória Menezes nos papéis principais de Harold and Maude. Além deles, Ângela Dip, Elisa Pinheiro, Márcio Vitto, Verônica Valentim, Guilherme Siman, Walisson de Souza e Jamil Kubruk integram o elenco dirigido por João Falcão, considerado um dos melhores diretores brasileiros de teatro da atualidade. Durante sua 1ª turnê, a peça, que foi baseada na tradução inédita de Millôr Fernandes, percorreu 26 cidades, com público de mais de um milhão de espectadores, e conquistou vários prêmios, tendo sido, inclusive, recordista em indicações para o Prêmio da APTR. Além dos atores, os cenários, figurinos e trilha sonora são pontos altos do espetáculo, que equilibra elegância, humor e emoção ao retratar a história de amor entre uma jovem senhora de 80 anos apaixonada pela vida e um senhor de quase 20 anos obcecado pela morte.

Serviço:

O quê: ‘Ensina-me a Viver’ com Glória Menezes e Arlindo Lopes

Quando: 17 a 19/09 (21h) e 20/09 (18h)

Onde: Teatro Municipal de Uberlândia Av. Rondon Pacheco, 7070 – (34) 3235-1568

Ingressos no site www.megabilheteria.com; na bilheteria do Teatro das 12h às 18h; nas lojas Provanza (Supermercado D´Ville – Av. Getúlio Vargas – e Shopping Via Centro); na Agência Lazer Tur (Av. Rondon Pacheco, 1756)

Preços: 17/09 – R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) // 18/09 – R$100 (inteira) e R$ 50 (meia) // 19 e 20/09 – R$120 (inteira) e R$ 60 (meia)

Promoção: As primeiras 500 pessoas a comprarem ingressos ganharão o livro ‘Nau à Deriva, o Teatro em Uberlândia de 1907 a 2011’, do jornalista e produtor cultural, Carlos Guimarães Coelho.

Categorias: Leia Também

Deixe uma réplica

Seu email não pode ser publicado.