DTM: Dores faciais podem indicar disfunção

Dores na mandíbula, nos músculos faciais, dores de cabeça e até mesmo dores de dente podem estar relacionadas à ATM – estrutura que liga a mandíbula (queixo) ao o crânio (têmpora) – e músculos associados. Quando há uma sobrecarga nessa região, ela passa a não exercer a sua função corretamente e então aparecem as dores.

 

O diagnóstico referente à causa da dor pode ser feito por alguns especialistas da área de saúde e, algumas vezes, exige uma equipe disciplinar que pode ser composta por dentistas, médicos, psicólogos, psiquiatras e fisioterapeutas.

Um tratamento que se mostra relevante e significativo é a fisioterapia. Realizada por um profissional, ela garante bons resultados e o alívio da dor, como explica a fisioterapeuta Edilene dos Santos. “A fisioterapia oferece um tratamento não invasivo com o objetivo de restaurar a função comprometida  dos sistemas neuromusculares adjacentes. Para cada diagnóstico deve-se montar um tratamento especifico individualizado para indivíduo. As técnicas utilizadas incluem analgesia através de recursos eletrotermoterapico, liberação de pontos gatilhos, massagem, alongamento, exercícios cisneioterapêuticos e terapia manual”, diz.

 

Mas é importante que o paciente tenha consciência de que o tratamento é feito em conjunto. “É necessário que o paciente esteja consciente sobre sua condição dolorosa, ele deve ser responsabilizado pelo processo de cura, pois 90% de todas as terapias estão diretamente relacionadas à aceitação e ao comprometimento com a terapia proposta por cada profissional”, afirma Edilene.

Os sintomas para este tipo de diagnóstico são diversos. Incluem-se, entre outras, as cefaléias, enxaquecas, dores de ouvido, sensibilidade na face, dor na articulação temporomandibular, dor nos músculos utilizados na mastigação,  dores com origem no sistema nervoso, dores neuropáticas, dores psicogênicas e dores por doenças graves e adquirida (como tumores e AIDS).

Por isso, é fundamental que as pessoas tenham atenção com a saúde e ao sinal do menor sintoma, procurem um profissional especializado.

Categorias: Leia Também

Deixe uma réplica

Seu email não pode ser publicado.