Confira 3 mil anos de padrões de beleza feminina em vídeo de 3 minutos

Este vídeo utilizou diferentes modelos, mostrando como o conceito do corpo de uma mulher ideal tem mudado ao longo da história.

Os trajes de banho brancos que todas os modelos no vídeo estão vestindo, ajuda a acentuar as diferenças entre seus corpos, deixando de lado outros elementos históricos que poderiam tirar o foco, como roupas ou jóias.

Tudo isso só serve para mostrar que não há uma maneira correta ou definitiva de interpretar a beleza feminina. Qual período histórico você prefere?

Egito Antigo (1292-1069 aC)

corpo ideal feminino 2

– Magra
– Ombros estreitos
– Cintura alta
– Rosto simétrico

 

Grécia Antiga (500-300 aC)

corpo ideal feminino 3

– Cheia
– Encorpada
– Pele clara
– As mulheres eram consideradas versões “desfiguradas” dos homens

 

Dinastia Han (206 aC-220 dC)

corpo ideal feminino 4

– Cintura fina
– Pele pálida
– Olhos grandes
– Pés pequenos

 

Renascença Italiana (1400-1700)

corpo ideal feminino 5

– Seios grandes
– Barriga arredondada
– Quadris grandes
– Pele clara

 

Inglaterra vitoriana (1837-1901)

corpo ideal feminino 6

– Gordura desejável
– Cheia
– Cintura arredondada
– As mulheres usavam espartilhos para atingir a forma do corpo ideal

 

Anos 20

corpo ideal feminino 7

– Sem peito
– Cintura minimizada
– Penteado bob curto
– Aparência de menino

 

Era de Ouro de Hollywood (1930 – 1950)

corpo ideal feminino 8
– Curvilínea
– Forma de corpo ampulheta
– Seios grandes
– Cintura fina

 

Anos 60

corpo ideal feminino 9

– Esbelta
– Magra
– Pernas finas e longas
– Físico de adolescente

 

Anos 80

corpo ideal feminino 10
– Atlética
– Esbelta, mas curvilínea
– Alta
– Braços tonificados

 

Anos 90

corpo ideal feminino 11
– Extremamente magra
– Pele translúcida
– Andrógina

 

Beleza pós-moderna

corpo ideal feminino 12
– Barriga “mínima”
– Magra “saudável”
– Seios e bumbum grandes
– As mulheres recorrem a cirurgia plástica para alcançar seu visual desejado

Categorias: Destaque

Deixe uma réplica

Seu email não pode ser publicado.