Comida de Buteco impulsiona desenvolvimento dos pequenos comerciantes do setor

“Não importa o tamanho do boteco. Importa o sucesso da receita”. Com essa filosofia o Comida di Buteco dá início à temporada da cozinha de raiz em 2015 e chega a todas as regiões do Brasil, se consolidando como o maior concurso do gênero no país. Em Uberlândia, o concurso acontece até o dia 3 de maio com a participação de 14 botecos, sendo cinco estreantes. E não são somente as frutas e o sucesso das receitas que estão fazendo com que a criatividade dos botequeiros se aflore e atraia mais clientes. Para se sobressair, muitos donos de bares investiram na estrutura e nos ingredientes para compor o prato.

Quem participa do projeto há mais tempo sente os efeitos positivos no que tange o desenvolvimento do boteco e na cadeia. Um bom exemplo desse avanço provocado pelo Comida di Buteco em Uberlândia é o bar do Betão, localizado no Centro da cidade e participante do concurso desde a primeira edição. O boteco que existe há 24 anos, precisou se adaptar. Nesse ano, José Gilberto (Betão) disse que para fazer bonito reformou os banheiros, pintou o estabelecimento, comprou uniformes novos, contratou mais pessoal. “O investimento foi de R$ 10 mil, fora o salário de mais dois garçons e de uma cozinheira. Nos dois últimos anos que participei o Comida di Buteco consegui alavancar o faturamento em 80% a mais. Vale muito à pena participar”, disse Betão.

Outro botequeiro que entende a importância do Comida de Buteco na evolução de seu negócio é José Carlos Alves de Medeiro, dono do Bar do Carlinho. O boteco tem 25 anos de fundação. Modesto, o espaço passou por melhorias. José Carlos conta que além do cardápio, melhorou os banheiros e colocou mesas. “No início eram duas mesas de sinuca e banquinhos próximos ao balcão. Hoje, o bar continua no mesmo espaço, mas com estrutura mais adequada. Construí mais um banheiro feminino. Além de boas receitas, treinamento recebido, sugestões de especialistas, e de ter meu estabelecimento divulgado pela mídia, tenho pratos que criamos com o incentivo desse concurso e é lider de vendas até hoje. O evento força a gente fazer algo inovador. Se estou onde estou hoje, devo ao Comida de Buteco”.

José Carlos acredita que financeiramente esse ano será o melhor da temporada porque além de aumentar mais uma semana de evento, o feriado somará.
Ednelson de Sá Ferreira, proprietário do Seis e Meia, antigo Arroba há três anos, conta que é a primeira vez que participa. “Investi em funcionários. Tenho cinco garçons e no fim de semana reforço com free lancer. Quero pegar experiência para a próxima edição eu estar ainda mais preparado”, disse.
 

O perfil dos botecos escolhidos

O Comida di Buteco escolhe para participar os botecos classificados pela coordenação do concurso como “espontâneos”, que são aqueles bares em que o proprietário, obrigatoriamente, administra o negócio; sua história e seu dia a dia comungam com a identidade do dono, que na maioria das vezes conta com a força de trabalho de mais pessoas da sua família.
O boteco espontâneo não faz parte de uma rede ou franquia de marca. Vários botecos que participam são muito tradicionais, tendo de existência, grande parte da própria vida de seus donos. Alguns passaram de pai pra filho, avô para neto. E tem aqueles que são mais recentes, mas com alma de boteco tradicional e espontâneo. Já nasceram com ótima relação com sua vizinhança e seguem fazendo tradição mesmo com menos tempo de existência.
Dinâmica

O formato do concurso continua o mesmo. O que muda é o tema que neste ano é “Frutas’. Em todas as cidades, são 500 tira-gostos diferentes. Durante 24 dias, os botequeiros criaram seus pratos para superar a expectativa dos clientes e ganhar o máximo de pontuação possível. O público e um corpo de jurados visitam os botecos e votam no local. A média entre os quesitos avaliados garante o resultado da premiação. São avaliados de 1 a 10, a higiene, o atendimento, a temperatura da bebida e o petisco (que leva 70% da nota). O voto do júri vale 50% e do público 50%.
Além de Uberlândia, participam do concurso, pioneiro nesse segmento, outras 19 cidades: Belém/PA; Manaus/AM; São Paulo/SP; Campinas/SP, Ribeirão Preto/SP, São José do Rio Preto/SP, Rio de Janeiro/RJ; Belo Horizonte/MG, Montes Claros/MG, Juiz de Fora/MG, Poços de Caldas/MG, Timóteo/MG, Coronel Fabriciano/MG, Ipatinga/MG; Goiânia/GO; Brasília/DF; Curitiba/PR; Porto Alegres/RS; Fortaleza/CE; Salvador/BA e Recife/PE.

O Instituto de Pesquisas Vox Populi é o responsável pela apuração em todas as cidades.

Categorias: Leia Também

Deixe uma réplica

Seu email não pode ser publicado.