Se ela incomoda na adolescência, que dirá na fase adulta. A acne é uma doença dermatológica que atinge aproximadamente 80% das pessoas. É muito comum a ocorrência entre 11 e 24 anos, em ambos os sexos, mas em algumas situações ela pode permanecer ou surgir após os 25 anos, sendo mais frequente no sexo feminino.

Se ela incomoda na adolescência, que dirá na fase adulta. A acne é uma doença dermatológica que atinge aproximadamente 80% das pessoas. É muito comum a ocorrência entre 11 e 24 anos, em ambos os sexos, mas em algumas situações ela pode permanecer ou surgir após os 25 anos, sendo mais frequente no sexo feminino.

 

O processo de formação da acne acontece na unidade pilossebácea. Esta estrutura é formada por uma glândula sebácea, pelo canal por onde o sebo produzido é eliminado e que aparece na superfície como o poro e por um pelo rudimentar.

 

Entre os fatores relacionados ao aparecimento da acne, têm-se a hereditariedade, o aumento do tamanho e da produção da glândula sebácea, alterações hormonais, inflamação do folículo piloso, infecção bacteriana do folículo piloso.

 

“Muitas vezes a busca por ajuda profissional ocorre por questões estéticas. Mas é importante a intervenção profissional tanto visando afastar alterações hormonais mais graves, quanto para prevenir manchas ou cicatrizes.”, conta a médica Angélica Pacheco.

 

A especialista, que atende na Clínica MedGen em Uberlândia, explica que, normalmente, o local mais acometido na mulher adulta é na parte inferior da face, mandíbula e porção superior do pescoço. As lesões costumam ser mais leves do que aquelas da adolescência e podem durar até a menopausa.

 

Em algumas situações a acne na mulher adulta pode piorar, como por exemplo, durante o período menstrual e de estresses. Entretanto, durante a gestação, na maioria dos casos,  ela pode melhorar.

 

A Dra. Angélica explica que o tratamento normalmente consiste na utilização de produtos tópicos, e em alguns casos antibióticos podem ser prescritos. “Peelings químicos são indicados visando o controle da oleosidade e tratamento das manchas residuais. Nos casos em que sejam diagnosticadas alterações hormonais, um trabalho conjunto com ginecologista pode ser necessário.”, completa.

 

O cuidado deve continuar no dia a dia. É importante o uso de produtos específicos para cada tipo de pele e indicado pela especialista. As peles tendem a ser mais oleosas e assim, sabonete, maquiagem e protetor solar precisam ser direcionados para essa pele.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Contato apenas para orçamentos.
Contato apenas para orçamentos.