9 Alimentos para você PARAR de consumir hoje ainda! Saúde do Coração!

As dores no peito são um sintoma comum e que afetam muitas pessoas em todo o mundo. De acordo com pesquisas, as doenças relacionadas ao coração são responsáveis por 29,4% das mortes registradas no país.

Segundo o cardiologista do Hospital Santa Clara, Anderson Silveira Duque, as dores no peito podem se manifestar de maneiras diferentes, mas quando há a presença de algum problema cardíaco, elas costumam se apresentar em locais específicos.

“Dor no peito é um sintoma que pode ser manifestado como aperto, pontada ou queimação. Normalmente, as dores que são de origem cardíaca são dores do lado esquerdo, como uma queimação ou opressão, aperto com sensação de peso no peito e geralmente irradiada para o braço esquerdo”, explica o médico.

Além disso, o médico relata que o infarto, doença muito conhecida pela população tem como sintoma a dor no peito. “O sintoma mais comum do infarto é a angina, que significa a dor no peito decorrente da falta de sangue ao coração. Essa falta de sangue pode causar a morte da célula cardíaca, gerando o infarto”, esclarece.

Anderson também explica como lidar com uma pessoa, caso ela sinta dores no peito próximo a você: “Se você estiver do lado de uma pessoa com dor no peito, tente acalmá-la e imediatamente transporte ela para um serviço de emergência. Não tente nenhuma medida ou medicamento por sua conta própria. É importante uma avaliação médica para justamente antecipar o diagnóstico e oferecer o melhor tratamento para ele”, afirma.

Para um coração saudável, o médico nos dá algumas dicas e as apresentamos abaixo, para que você cuide bem do seu coração:

  • Manter o peso ideal para seu biótipo físico e prevenir a obesidade;
  • Alimentação saudável, rica em frutas e vegetais;
  • Prática regular de atividade física;
  • Avaliações médicas periódicas.

No dia 29 de Setembro, comemora-se o Dia Mundial do Coração, mas os dados nos apresentam uma realidade preocupante. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), cerca de 350 mil mortes são causadas por problemas cardíacos, que matam mais no país do que o câncer, que afeta cerca de 190 mil pessoas por ano.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também nos mostra que, além do câncer, os problemas cardíacos lideram o ranking de doenças que mais matam no país, ultrapassando doenças do aparelho digestivo ou endócrino:

image002
Diante desses dados, é necessário que a população se atente ao fato de que, os cuidados com a saúde devem ser constantes e diários, como explica o doutor Cléber Augusto de Oliveira Souza, cardiologista do Hospital Santa Clara.

Para ele, os cuidados básicos recomendados em qualquer consulta, são uma boa alimentação e atividade física. “Quando o paciente chega ao consultório, o que recomendo a ele é boa alimentação e atividade física. Além disso, ele deve manter-se dentro de seu peso ideal.”, afirma o médico.

Para o doutor, o consumo de alimentos como frutas e legumes e a ingestão baixa de gorduras também contribuem para manter a saúde do coração. “As gorduras tendem a trazer problemas ao coração, se consumidas em excesso. Então, é recomendado a alimentação baseada em frutas, legumes e verduras e o consumo reduzido das gorduras.”, esclarece.

Para manter o se coração saudável e obter uma qualidade de vida ainda maior, deixamos sugestões de alimentos que podem te ajudar:

 

  1. Feijão

Comer feijão regularmente é um hábito conhecido por fazer bem ao coração. Um estudo publicado no Journal of Nutrition sugere que comer apenas 1/2 xícara de feijão cozido por dia pode reduzir o colesterol. As fibras solúveis são a principal razão para esta fama. Outros componentes no feijão também podem ser responsáveis pelo efeito de redução do colesterol, além disso, o feijão contém uma variedade de produtos químicos que protegem o coração, como os flavonoides, também encontrados em vinho, frutas e chocolate, que inibem a adesão de plaquetas no sangue, o que pode ajudar a reduzir o risco de ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais.

  1. Salmão ou outros peixes gordurosos

Estudos apontam que consumir peixe duas ou mais vezes por semana está associado a um risco 30 por cento menor de desenvolver doença cardíaca coronária a longo prazo. Peixes, especialmente gordurosos como salmão e atum, contém ômega-3, que podem reduzir a pressão arterial. Eles também ajudam a prevenir arritmias cardíacas. Nenhum peixe comum proporciona mais dos ácidos graxos ômega-3 do que o salmão. Se você não curte salmão, pode utilizar um suplemento de ômega 3.

    

  1. Nozes de todos os tipos

As nozes são repletas de vitaminas, minerais, gorduras monoinsaturadas, isto significa que é muito saudável para o coração. Pesquisas sugerem que pessoas que comem nozes, amêndoas, avelãs, pistache e amendoim de dois a quatro dias por semana têm uma incidência menor de doenças cardíacas do que as pessoas que comem com menos frequência.

 

  1. Chocolate com alto teor de Cacau

Os pesquisadores descobriram que a ingestão de quantidades moderadas de chocolate com alto teor de cacau tem o efeito de afinar o sangue, o que pode beneficiar a sua saúde cardiovascular.

 

  • 5. Banana

Você sabia que uma única banana tem em média cerca 12% de sua dose diária recomendada de potássio? O potássio ajuda a manter a função normal do coração e ajuda a equilibrar o sódio e a água no organismo. Como o potássio ajuda os rins a eliminar o excesso de sódio, consequentemente contribui para uma pressão arterial saudável.

 

  • 6. Pipoca

A pipoca contém polifenóis que são antioxidantes ligados à melhoria da saúde do coração. A pipoca possui três vezes mais polifenóis do que feijão, a fonte mais rica de polifenóis em vegetais, de acordo com pesquisa da Universidade de Scranton. Além do mais, a pipoca é um grão e toda pessoa que come muitos cereais integrais tende a ser mais magro e tem um menor risco de doença cardíaca do que aqueles que não comem. Apenas tenha cautela com a quantidade de sal!

 

  • 7. Vinho tinto

Beber com moderação pode proteger o coração por aumentar “bom” colesterol HDL, reduzindo a inflamação e “afinar o sangue” que previne coágulos que podem causar ataque cardíaco e AVC.

 

 

  • 8. Leite

Uma boa notícia para quem não é intolerante a lactose. Estudos mostram que os alimentos ricos em cálcio e vitamina D podem ajudar a reduzir o risco de doenças cardíacas em até 15%. Consumimos leite aqui em casa principalmente em shakes de whey.

 

  • 9. Aveia

Por ser fonte de fibra solúvel, a aveia ajuda a reduzir o colesterol.

Categorias: Leia Também

Deixe uma réplica

Seu email não pode ser publicado.