“Nem palavras Nem coisas” é um esboço sobre o Amor… ou o que fica deste na ausência daqueles. Não é uma história, é uma des-construção que deixa exposta a solidão de um discurso vazio. Um casal navega um rio mecânico de automatismos, padrões e reincidências. Fragmentos de Amor que padecem naufrágios permanentes. Nadar é imprescindível

“Nem palavras Nem coisas” é um esboço sobre o Amor… ou o que fica deste na ausência daqueles. Não é uma história, é uma des-construção que deixa exposta a solidão de um discurso vazio. Um casal navega um rio mecânico de automatismos, padrões e reincidências. Fragmentos de Amor que padecem naufrágios permanentes. Nadar é imprescindível para evitar o afogamento desses corpos que se tornaram objetos por onde circula aquilo que flui. A agua sabe que é rio quando se encontra entre duas margens, as palabras criam inimigos para que logo as coisas os matem. Nem palavras Nem coisas: um disparo de humor, sarcasmo e ironia aos ventrículos do seu peito.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
1
Contato apenas para orçamentos.
Contato apenas para orçamentos. https://fernandoprado.com/2017/01/13/co-producao-brasil-argentina-se-apresenta-em-uberlandia