[SOCIAL] – Alunos precisam de financiamento para apresentarem um espetáculo teatral!

Os alunos da “Oficina de Montagem” da Escola Livre do Grupontapé de Teatro estão com a proposta de financiamento coletivo no site Catarse, até o mês de janeiro de 2017, com objetivo de angariar recursos para o projeto de montagem e circulação do espetáculo teatral “A aurora da minha vida”.

A “Oficina de Montagem” é uma das atividades oferecidas pela Escola Livre e já possibilitou que muitos alunos passassem pela experiência do processo de uma montagem teatral, algumas inclusive premiadas.

Todavia, volta e meia, os responsáveis pelo projeto deparam-se com dificuldades para captar o apoio das empresas e, neste ano, não foi diferente. “Mesmo não tendo perspectiva de verba para a realização da montagem, resolvemos começar a oficina, pois tínhamos disponíveis a estrutura, os profissionais e esses 16 alunos/atores que toparam e investiram nessa empreitada, o projeto está custeando uma pequena parte da montagem. Aproveitamos o limão e fizemos uma limonada, criamos um Núcleo de Produção com os próprios alunos e no decorrer da montagem, foram feitas algumas ações na busca dos recursos para a montagem (“livro ouro”, sarau), mas ainda falta mais um pouco para concluir uma fase e começar outra”, informa a coordenadora da Escola Livre, Katia Bizinotto.

Em função disso, veio a iniciativa de divulgar o projeto no site de financiamento coletivo. “O trabalho tem sido intenso e profundo, tanto que esses alunos/atores já estão se articulando para formar um grupo teatral a partir desta montagem. Portanto, esse projeto também representa uma transição, pois passarão de ‘alunos da Oficina de Montagem da Escola Livre do Grupontapé’ para a ‘Cia Tropeço de Teatro, nome com o qual passará a se identificar”, destaca a diretora da montagem, a professora Juliana Nazar.

 

A PROPOSTA DE ESTREIA E CIRCULAÇÃO

A estreia do espetáculo está prevista para fevereiro de 2017, no espaço da Escola Livre do Grupontapé de Teatro em Uberlândia/MG.

A proposta é circular com o espetáculo em algumas cidades do Triângulo Mineiro.  “Essas cidades serão escolhidas posteriormente, de acordo com o valor arrecadado e levando-se em consideração os custos com transporte, alimentação, hospedagem, aluguel de espaço, entre outras coisas”, adianta Katia Bizinotto.

“O apoio que precisamos para os custos com a montagem e circulação são R$ 5 mil e R$ 10 mil, respectivamente”, informa Nazar.

 

PREMIAÇÕES

O mesmo grupo, que busca os recursos, já foi premiado várias vezes. No Festival Sol Curtas Cenas de Araguari (MG) com as indicações: melhor cena “A aula de leitura” e direção: Juliana Nazar. No Festival Mínima Cena Uberaba com a indicação: melhor direção; e premiações: “Melhor atuação”: Sara Bernardes, “Segunda melhor cena”: “A aula de leitura”, e no Fest 15 Uberaba com as premiações: “Segunda melhor atriz”: Janaina Mangini, “Segunda melhor direção”: Juliana Nazar e “Segunda melhor cena”: “O aluno que comia caca de nariz”.

“São alunos/atores talentosos e que pensam em profissionalizar-se no teatro”, comenta Juliana Nazar.

 

LINK PARA PARTICIPAR DO FINANCIAMENTO COLETIVO

https://www.catarse.me/aauroradaminhavidaciatropeco?ref=facebook&utm_source=facebook.com&utm_medium=social&utm_campaign=project_share_insights

 

Categorias: Destaque

Deixe uma réplica

Seu email não pode ser publicado.