Saúde no inverno: risco de meningite é maior nesta época do ano

As baixas temperaturas do inverno costumam ser um convite a aglomerações. Com frio, a tendência é de que as pessoas busquem refúgio em ambientes fechados e lotados.

O problema é que alguns intrusos podem acabar dividindo o espaço. É o caso de micro-organismos nocivos, responsáveis por doenças transmitidas pelo contato próximo com indivíduos infectados. Entre elas, estão as meningites, uma doença infecciosa caracterizada pela inflamação das meninges, membranas que revestem o cérebro. Passa de pessoa para pessoa através de gotículas de saliva expelidas durante a fala, a tosse, o espirro. Mas não é apenas por meio do contato com o doente que se contrai a patologia.

A meningite é uma doença que assusta por dois motivos: as graves sequelas que ela pode deixar no organismo e por ter uma taxa de mortalidade que pode chegar a 90% se o paciente não receber tratamento adequado e rápido.

De acordo com o infectologista do Hospital Santa Clara, Romes Rufino, é necessário estar atentos aos sintomas. “Por ter sintomas genéricos, que podem facilmente ser confundido com outras doenças, é necessário que as pessoas fiquem atentas e procurem o médico o quanto antes. Na maioria das vezes, a meningite pode causar dor de cabeça, febre, náuseas e vômitos”, disse.

Em relação ao contágio, o infectologista explica. “A principal forma de contágio é contato respiratório com alguém doente”, afirma.

 

Vulneráveis

As crianças são as mais atingidas por meningites porque seu sistema imunológico ainda está em formação. No caso de bebês, o sistema respiratório não está desenvolvido completamente, facilitando a entrada de vírus, fungos e bactérias.

 

Sintomas

Os sintomas da meningite bacteriana são: febre alta, mal-estar, vômitos, dor forte de cabeça e no pescoço, dificuldade para encostar o queixo no peito e, às vezes, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo. Nos bebês, é importante atenção para a moleira, que fica elevada. A meningite bacteriana tem cura, se o paciente for levado ao hospital para o diagnóstico precoce e tratamento adequado.

Categorias: Notícias Locais

Deixe uma réplica

Seu email não pode ser publicado.