Dia Mundial de Prevenção do Suicídio faz alerta!

O suicídio é considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como um problema de saúde pública. Às vésperas do Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio – 10 de setembro – os números de casos são altos no país. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) mais de 800 mil pessoas cometem suicídio por ano no mundo. Isso representa uma morte a cada 40 segundos.

 

De acordo com o psiquiatra Bruno Cateano, os fatores ligados a esse comportamento são diversos. “A maioria das pessoas que colocam fim à própria vida tem algum transtorno mental, principalmente transtornos do humor, como a depressão e transtorno bipolar, mas os transtornos psicóticos e dependências químicas também podem levar a esse comportamento”, explicou.

Ainda segundo o psiquiatra muitas vezes quando a pessoa passa por uma crise grave, um dilema pessoal muito difícil, como lidar com a homossexualidade, o bullying, enfim, uma situação para a qual não se vê saída, a exemplo de uma crise financeira, perda do emprego, doença grave, dependendo do transtorno essa atitude pode ser fatal. Outro fator agravante, é que se for fácil ter acesso a formas eficazes de morrer, a chance de o suicídio é maior. “Trabalhar armado ou ter arma em casa, não ter rede de proteção nas janelas, lidar com venenos ou drogas, são outros fatores que levam a pessoa a uma atitude fatal”.

Mas há como prevenir? Sim, diz o psiquiatra. Uma das formas, explica o especialista é aumentar o esclarecimento da população sobre os transtornos mentais e disponibilizar tratamentos eficazes. “As pessoas precisam saber o que é depressão, bipolaridade, esquizofrenia, e outras doenças psíquicas para buscar ajuda. Depressão, assim como transtorno bipolar, psicoses e dependências químicas são  doenças e devem ser tratada sem demora. É importante também evitar ter acesso aquilo que pode numa crise súbita, levar a pessoa a se matar, como estoque de grandes quantidades de remédio, arma de fogo, utilizar telas nas janelas em casos de apartamentos. O fato é que segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos, mas para isso buscar ajuda o quanto antes é imprescindível”, alerta Bruno.

Categorias: Notícias Locais

Deixe uma réplica

Seu email não pode ser publicado.